quarta-feira, novembro 30, 2011

PRIMEIRO REVIEW DA CONTROLADORA PIONEER DDJ-S1

Hoje fiz o primeiro teste de mixagem na minha nova controladora Pioneer DDJ-S1. Gravei um set mixado de mais ou menos 1 hora, e já deu pra perceber bem os prós e contras do aparelho. Na realidade vou detalhar mais aqui nos pontos fracos, pois os pontos fortes são meio óbvios pra quem já conhece qualquer equipamento da Pioneer, eu acho. E outra coisa que vale ressaltar é que essa é uma primeira análise, uma primeira impressão. Talvez, com o tempo, e com o costume, alguns desses detalhes comentados sejam minimizados (até porque eu não conheço todos os recursos do software e da controladora de cabeça ainda, pode ser até que eu esteja falando alguma besteira aí abaixo, por desconhecimento mesmo).

1) Eu tenho o hábito de acompanhar as faixas que estão ENTRANDO pelo TIME ELAPSED, pra saber quando vai acabar o break e começar a música de fato, e as músicas que estão SAINDO pelo TIME REMAINING. Logo, a cada mixagem eu tenho que trocar de ELAPSED para REMAINING e vice-versa nos dois decks. Mas, pelo que eu vi, não existe um botão pra fazer isso diretamente pela controladora, mas só pelo software... ou seja, eu tenho que manter um mouse ligado ao laptop, ou utilizá-lo de forma a ter acesso ao mouse pad (e consequentemente ao teclado). Mas, pra isso ser feito, o laptop NÃO pode ser posicionado por baixo da controladora (uma das grandes propagandas feitas pela Pioneer), pois quando isso é feito o teclado e o mouse pad ficam inacessíveis. Merda. :)

2) Uma coisa pra tomar cuidado aqui: a "mini-wave" colorida que tem em cada deck, que mostra a análise gráfica da faixa de áudio que está carregada no deck, é uma coisa que pode confundir a questão do tempo que falta pra acabar a música. É que cada música tem um tempo total diferente da outra (3 minutos, 5 minutos, 8 minutos, etc), então a "quantidade de onda" que falta pra tocar ali pela mini-wave varia em extensão, de uma música pra outra. E aquilo ali também dá uma falsa idéia de tempo. Por várias vezes eu olhei pra ela, achei que faltava bastante tempo pra acabar, mas na realidade só me restavam algo como 30 segundos para realizar a mixagem.

3) Dependendo do modo de visualização que você selecionar, as informações apresentadas na tela ficam muito pequenas. Isso também depende do tamanho do seu laptop. Eu uso um Macbook Pro 13", então qualquer coisa ali naquela tela fica pequena, acredite em mim. Tem um dos modos lá que praticamente não dá pra enxergar o que tá escrito. E o pior é que você precisa muito olhar aquilo ali, para saber por exemplo em mais ou menos quantos % está o pitch que você está regulando pelo slider na controladora (a controladora nõa tem um display pra mostrar isso). Eu aconselho colocar o laptop bem na frente da sua cara, ou então usar um dos modos de visualização maiores.

4) Senti a falta também dos botões de FAST FORWARD e FAST REWIND que existem nos CDJs. Na falta deles, é necessário usar o NEEDLE SEARCH ou então colocar em VINYL MODE e sair rodando o jog pra frente ou pra trás, dependendo se você quer avançar ou retroceder. O problema de usar o NEEDLE é ele tem uma sensibilidade máxima definida (acho que só se move de 1/10 em 1/10 do tempo da faixa, o que é pouco), e isso é especialmente ruim nas faixas mais longas (um set mixado inteiro então, nem se fala). Já o problema de usar o JOG é que além de fazer um barulho ensurdecedor de SPIN no seu ouvido, fazer isso toda hora deve depreciar o jog em tempo recorde -- se você gosta do seu dinheiro, não faça isso. A única solução que eu encontrei foi a de usar o mouse direto na mini-wave da faixa de áudio que está carregada no deck, clicando no ponto da faixa que se quer acessar, mas isso novamente cai naquele problema de não poder usar o laptop por baixo da controladora.

5) O botão do MIXING CUE (pra escolher se quer ouvir no headphone mais o CUE ou mais o MASTER) é um dos que veio na controladora em "tamanho reduzido". Talvez a Pioneer tenha achado que esse botão não é muito utilizado pelos DJs. Mas eu, no caso, utilizo muito, pois às vezes quero ouvir a faixa que vai entrar SOZINHA, sem estar tocando com o MASTER. Pra mim, esse botão poderia ser maior, igual aos de equalização, por exemplo, pois do tamanho que ele é fica complicado de usar toda hora. Tinha que ser maior.


6) Reparei também que a barrinha do needle search fica muito exposta na controladora, sobretudo quando você vai precisar operar os controles de volume e equalização do microfone 1. Eu estava tocando e precisei mexer na equalização do microfone, e sem querer toquei na barra do needle search, o que fez a música "pular" de um ponto pra outro instantâneamente, estragando meu set. Tem que prestar muita atenção pra não pagar mico.


7) Por último, um comentário fanfarrão: a parte de cima do JOG é muito lisinha, e as bordas são de plástico DURO, e não MOLE, ou seja, tanto em cima quanto do lado a "pegada" não é boa, sobretudo se você estiver com a mão muito seca. A solução que eu encontrei, de imediatado, é dar uma lambida nos dedos pra deixar a mão mais grudenta. A solução de longo prazo é usar bastante a controladora pra que muita cerveja pingue em cima dela, e ela comece a ficar mais grudenta. :)


Observação final: lembre-se dessas questões de limitação do hardware, quando se faz necessária a utilização do teclado ou do mouse, no momento de adquirir um hardcase COM ou SEM plataforma para apoio do laptop por CIMA da controladora (porque ao usar o laptop por baixo a limitação é bem maior).

5 comentários:

RNTDNB disse...

Olá Marcelo KPZ gostei do REVIEW Pioneer DDJ-S1 Marcelo gostaria de saber sobre "SCRATCH" da pra fazer alguma coisa ? E o mais importante compensa ter uma pois estou muito interessado neste aparelho mais estou na duvida entre ela e a NUMARK NS6.

RNTDNB disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo KPZ disse...

Olá amigo. Sim, acho que vale a pena ter uma. Ela faz scratch sim, bem como qualquer CDJ da pioneer que veio depois do CDJ-100. Eu nõa conheço a NS6 pra comparar, mas eu posso te dizer que a Pioneer é uma marca mais confiável, e além disso a DDJ-S1 é uma controladora maior e mais robusta. Quase todas as outras do mercado são um pouco menores, mais compactas. Espero ter ajudado.

RNTDNB disse...

Marcelo KPZ seu REVIEW foi de grande ajuda bem que vc poderia fazer um pro YOUTUBE pois vennho pesquisando a semanas e não tinha vista nada tão bem explicado aqui pra nos DJs Brasileiros valeu.

Marcelo KPZ disse...

Obrigado pelo elogio. Na realidade não foi nem um review completo, foi mais um comentário sobre pontos negativos mesmo. Mas o review completo já está a caminho, e provavelmente vai ser feito pelo outro colaborador do blog, o Roque Junior. Divulgaremos aqui no blog, fique ligado! Abraço.