domingo, outubro 23, 2011

SISTEMA DE P.A. PARA DJ -- O QUE COMPRAR?

Descobri há pouco tempo que atualmente os DJs estão comprando caixas ativas (amplificadas) ao invés de utilizarem caixas passivas ligadas a amplificadores de potência. Acho que é uma tendência bem forte no mercado, assim como foi na época em que passou-se a utilizar CD ao invés de discos, e mp3 ao invés de CDs.

Atualmente eu tenho um P.A. composto por um amplificador Cygnus SA-5 de 1500W de saída em 4 ohms e duas caixas de 12” com 350W de potência cada em 8 ohms. O amplificador deve pesar uns 40kg, e cada caixa 23kg. Meus problemas são três: (1)  dores na coluna pra carregar esse peso todo pra cima e pra baixo, (2) falta de grave nas festas em que eu faço/toco e (3) medo de ficar “vendido” caso o amplificador queime no meio da festa.

A solução para o problema (2) seria comprar um subwoofer adicional para o setup. Mas isso pioraria o problema (1), e além disso meu carro atual não comporta um volume adicional desta proporção. Essa solução está descartada.
Para resolver o problema de falta de grave, ou eu teria que comprar um subwoofer, de qualquer maneira, ou comprar caixas de 15” bem potentes e com projeto que proporcione este tipo de som. Mas mesmo assim uma caixa de 15” que toca todas as frequências jamais vai tocar igual a um subwoofer feito somente para isto. Claro que depende da caixa de 15” e depende do subwoofer de 15”, mas eu estou falando de uma maneira geral, se compararmos equipamentos do mesmo padrão.

Pra resolver o problema (1), eu precisaria comprar um equipamento do tipo portátil (mais leve). A JBL por exemplo tem um modelo novo de caixa ativa que é extremamente focada em portabiliadde, de 15kg por caixa, somente (é o EON 515 XT). Mas essa caixa não vai proporcional um grave igual ao de um subwoofer, com certeza. 

Para resolver o problema (2) sem comprar um subwoofer, só comprando caixas de 15” bem poderosas, mas isso afeta o problema (1), pois as caixas mais potentes são mais pesadas. Dado este cenário, as possíveis soluções são:

Solução (a): comprar 2 caixas ativas de 12”e 1 subwoofer ativo de 15”. Esse setup caberia dentro do meu atual veículo e resolveria parcialmente o problema (1), pois o subwoofer é bem pesado de carregar, e também o problema de grave (2) e o problema (3), pois caso o subwoofer queime, ainda restam as caixas que tocam médio-agudo (não é a mesma coisa, mas pelo menos a festa não pára), e caso uma das caixas de 12”queime, ainda resta a outra caixa (e convenhamos, dificilmente as duas caixas de 12” vão queimar ao mesmo tempo, salvo algum pico de tensão imprevisível). Essa solução é, teoricamente, a mais barata de todas, pois as caixas de 12” não precisam ser muito potentes, e nem o subwoofer. Para resolver este problema seria possível comprar 2 caixas Selenium 1202ª a R$ 1.600,00 cada, e um subwoofer a uns R$ 2.500,00 – Total R$ 5.700,00. Com este setup, as duas caixas de 12” somente poderiam ser utilizadas em festas menores ou em apartamentos (de até 60 pessoas), e o setup completo (com subwoofer) poderia ser adicionado em festas maiores ou em lugares abertos ou com público maior. Há a opção de utilizar das duas formas.

Solução (b): comprar somente 2 caixas ativas de 15”, sem subwoofer adicional. Para isso, as caixas precisam ser bem potentes, como por exemplo uma RCF ART 725-A. O problema é que uma caixa deste tipo custa uma pequena fortuna (R$ 7 mil cada, em SP). Essa solução resolve parcialmente o problema (1), mas certamente é melhor do que a solução (a), pois uma caixa dessas deve pesar um pouco menos que um subwoofer.  O problema (2) também estaria parcialmente resolvido, pois afinal uma caixa de 15” bem robusta e potente fala bastante grave, mas provavelmente não igual a um subwoofer dedicado a esta função. O problema (3) também estaria coberto, pois se uma caixa queimar ainda resta a outra para salvar (salvo em caso de pico de luz no sistema inteiro). Essa solução custaria uns R$ 14.000,00, ou menos, dependendo do padrão da caixa a ser utilizada. Sempre as duas caixas teriam que ser utilizadas nas festas.

Solução (c): comprar 2 caixas ativas de 15” não necessariamente muito poderosas, e mais um subwoofer ativo de 15”. Neste setup, como existe um subwoofer para sustentar os graves, as caixas de 15” não precisam ser extremamente poderosas, ou seja, podem ser caixas portáteis, mais leves, que apresentam menos grave. Uma possível caixa ativa para este caso seria a JBL 515 XT, que tem amplificador Crown e  uma potência de 625 W cada, custando uns R$ 3.500,00 cada. Neste setup, assim com na solução (a), no caso de uma festa menor, somente as caixas de 15”podem ser utilizadas (sem o subwoofer), mas neste caso, em comparação com a solução (a), existe uma maior garantia de que as caixas vão sustentar um grave mais eficiente (mesmo sem o subwoofer). No caso de uma festa maior, as caixas de 15” podem ser utilizadas juntamente com o subwoofer ativo de 15”. Esta solução resolve mais plenamente o problema (1), pois as caixas de 15” são bem leves (15kg cada), e o subwoofer não precisa ser sempre utilizado. O problema (2) também é resolvido com a utilização do subwoofer, e o problema (3) também é resolvido pois já foi explicado que caso o subwoofer queime, ainda restam as duas caixas de médio-agudo (que ainda têm um grave melhor do que a solução com caixas de 12”), e caso uma das caixas de 15” queime, ainda resta a outra caixa de 15” e mais o subwoofer. Esta solução custaria uns R$ 9.500,00 (2 caixas ativas de 15” + 1 subwoofer ativo de 15”).

CONCLUSÕES

A solução (a) é a mais barata, mas tem a desvantagem de que possui caixas de 12” (pequenas), ou seja, limita bastante a quantidade de festas possíveis de ser fazer SEM a utilização do subwoofer (só uma pequena parcela delas).

A solução (b) é a mais cara de todas, e a mais limitada, pois como não possui subwoofer, as duas caixas (pesadas) terão sempre que ser utilizadas. Por um lado as festas pequenas estarão sempre garantidas de ter um bom grave, mas as festa maiores não necessariamente terão um grave tão poderoso.

A solução (c) é a intermediária em termos de preço, e a que possui melhor solução dos problemas apresentados, pela flexbilidade de utilização do subwoofer ou não.

Logo, a melhor solução é a (c) (melhor custo/benefício). Acredito que a solução (a) tenha um melhor custo/benefício que a (b), que é a mais cara de todas e com maiores riscos.

5 comentários:

Cesar Music disse...

Cara, muito interessante seu post.
Eu pesquisava por aparelhagens em geral para dj e acabei encontrando essa sua incrível postagem.
O bom de tudo é que tem uma data recente. Parabéns pela dica. Incrível, palmas, palmas!

Marcelo KPZ disse...

Cesar, obrigado. De qualquer forma ainda preciso melhorar o texto, tem partes que estão mal escritas. :) Abraco.

guilherme rebello disse...

Opa!! Ja tinha lido a um tempo seu post, mas achei aqui em meus favoritos. Parabéns por gastar seu tempo tornando públicas informações importantes como esta. Continue assim!!!

Filipe Di Castro disse...

Fala, camarada! Muito boa a sua postagem. Eu a encontrei justamente porque passo por um problema parecido com o seu. Tenho um par da linha JBL SELENIUM. A caixa é a SPM 1503a (Sistema Ativo / Passivo). As caixas são ótimas. O preço muito bom. Comprei ano passado. A ativa custou R$ 1.790 e a passiva R$ 980,00, total 2.770. Com mais R$ 230,00 (totalizando R$ 3.000) inclui na compra tripés de alumínio (melhor coisa) e os cabos para fazer as conexões da caixa (speakon) e o cabo para jogar do mixer pra elas. Orçamento bacana, sem preço exorbitante. Ainda coloquei parcelado em 5x sem juros. Enfim... Hoje em dia sinto uma grande falta de grave quando preciso aumentar bem o volume. Ontem, por exemplo, toquei num casamento. A festa foi num sítio, ambiente aberto. Tive que arregaçar o som. Tinha grave, mas não era potente. Porém, eu tive que ir baixando a equalização em agudo, médio e grave, porque o LED vermelho da caixa estava piscando. E essa também é uma outra questão. Se eu arrochar o grave, o LED vermelho que indica que o som tá clipando fica piscando, mas o som não destorce. Mas fico com medo de fritar o amplificador, então prefiro cortar o grave e fim de papo. Estou pra resolver este problema mês que vem. Vi umas caixas que faz parte da linha JBL SELENIUM. Subwoofer 18 polegadas , modelo JS 118s, ativo. R$ 1.800 (numa loja aqui do Rio de Janeiro). No mercado livre encontra até por R$ 1.600, mas tem que pagar frete e fica quase a mesma coisa. Melhor comprar na loja que não tem prazo de entrega. Quero comprar 2. Orçamento de R$ 3.600 nesse par. Acredito que com esses dois subs meu problema acaba, porque as caixas de alta vão trabalhar somente com médio e agudo, já que o grave vai ser cortado totalmente para o sub. E as caixas falam bem. Então dá pra aumentar bem, continuar com qualidade e, claro, com grave. Fui na loja, já testei esse sub. Um só conectado a uma caixinha pequena de 10 polegadas fez um barulho tremendo. Os 350w que ela tem me deixou um pouco assustado por ser pouca coisa. Sempre vejo sub de 1.000w. Mas enfim. Se uma daquela fez um esporro da porra, imagina 2? Ainda sim, com 2 caixas de 15 juntas! Acho que vai ficar bom. Se eu deitar o banco do carro (que é um corsa hatch 4 portas) cabe tudo numa boa, ainda sobra espaço no banco da frente pro ajudante. As treliças vão em cima, no rack. E as luzes dá pra ir dentro também!! O que acham? Alguém já viu esse sub em festas? Vamos nos ajudar!! Abraços!!

eneas carvalho disse...

galera na boa eu tenho 2 sansom d415 15 pol de 400 rms cada e nem preciso de sub elas tem um otimo grave pode pesquisar! abraços!